Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página Inicial > Notícias > Curso de extensão do sistema braile é encerrado
Início do conteúdo da página Notícias

Curso de extensão do sistema braile é encerrado

Curso teve dois meses e meio de duração e teve seu encerramento no dia 01 de fevereiro.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 02/03/2018 16h31
  • última modificação 02/03/2018 16h33

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Pinheiro, por meio do Núcleo de Atendimento às pessoas com Necessidades Educacionais Específicas, realizou no período de 20 de novembro de 2017 a 01 de fevereiro de 2018 a segunda turma do curso de Extensão do Sistema Braille. O curso de extensão proposto pelo NAPNE do campus objetivou qualificar a comunidade de Pinheiro para desenvolver trabalhos com esse tipo de grafia. A cerimônia de encerramento do curso foi realizada no auditório do campus no dia 01 de fevereiro.

A coordenadora do projeto, Denise Costa, conta que nesta experiência formativa, houve algumas mudanças de caráter metodológico. “Diferente da primeira turma, foram realizadas visitas técnicas a escolas estaduais e municipais, nas quais os participantes do curso puderam conhecer o processo metodológico das salas de recursos multifuncionais. Com base nessas visitas, foi possível pensar e confeccionar recursos didáticos direcionados para o trabalho pedagógico dos alunos com deficiência visual/cegueira e para atender as demandas na perspectiva da educação inclusiva”, conta ela.

Os citados recursos foram doados para escolas do município que atendem alunos com tais especificidades. Foram contempladas as escolas Domingos Perdigão, no Bairro Pacas e Aurelina Catarina, localizada no Centro da cidade. “O IFMA Campus Pinheiro, através do seu Núcleo de Atendimento às Necessidades Educacionais Específicas, agradeceu a colaboração da comunidade interna e externa na realização do curso e ratificou seu compromisso em trazer para a sociedade os debates da Educação Especial/Inclusiva para a construção de uma escola mais democrática”, complementa Denise.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página