Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página Inicial > Notícias > Campus realiza Campanha Setembro Amarelo
Início do conteúdo da página Notícias

Campus realiza Campanha Setembro Amarelo

Ação de promoção à saúde mental e prevenção ao suicídio ocorreu nos dias 25, 26 e 27
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 01/10/2018 17h47
  • última modificação 01/10/2018 17h50

Considerando a crescente demanda relacionada à saúde mental dos estudantes, o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Pinheiro, realizou a Campanha Setembro Amarelo de Valorização da Vida, que contou com inúmeras atividades durante todo o mês. A ação integrou o Plano Institucional de Promoção à Saúde Mental e Prevenção ao Suicídio.

Ação de prevenção ao suicídio no campus abordou bullying, depressão, entre outros temas.

Foram realizadas rodas de diálogos, intervalos culturais, distribuição de material informativo, exposição de cartazes produzidos por discentes, entre outras atividades. Nos dias 25, 26 e 27 foram realizadas intervenções com 18 turmas do campus, nos turnos matutino, vespertino e noturno.

As ações educativas abordaram temáticas como saúde mental, depressão, suicídio, bullying, transtornos alimentares e valorização da vida. A campanha teve participação ativa dos estudantes, que vivenciaram ou vivenciam situações como essas e, corajosamente, relataram algumas de suas experiências para a comunidade escolar.

A equipe organizadora deu destaque especial para dois principais temas: bullying e transtornos alimentares. Segundo a coordenação do evento, embora não seja uma temática comum durante as abordagens da campanha do Setembro Amarelo, os transtornos alimentares também são motivo de adoecimento mental, especialmente no público adolescente, faixa etária de maior prevalência das desordens do comportamento alimentar relacionadas a alterações na percepção da imagem corporal.

As ações chamaram atenção para a valorização da vida através da aceitação do próprio corpo, além de alertar sobre os riscos e impactos para a saúde sob os aspectos biológicos, psicológicos e sociais de quem sofre com anorexia, bulimia e transtorno de compulsão alimentar. O objetivo foi conscientizar os participantes sobre a importância do apoio e tratamento adequado.

Durante as atividades, também foram destacados os impactos negativos do bullying para a saúde mental de adolescentes, pois pode causar isolamento social, depressão, ansiedade, evasão escolar, agressividade, transtornos alimentares, comportamentos autodestrutivos, entre outros, podendo chegar ao suicídio. O foco foi sensibilizar a comunidade acadêmica quanto a necessidade de valorização da vida, respeitando as diferenças e promovendo empatia e cuidado com o outro.

A equipe da Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE) foi convidada a estender a ação para a Escola Municipal José Erivan Cordeiro. Participaram do evento o coordenador da CAE, Ginaldo Cantanhede Nunes, a assistente social Karoline Parrião Rodrigues e a nutricionista Thays Cláudia da Silva Nascimento. A atividade contou com cerca de 250 estudantes na faixa etária entre 12 e 16 anos, além de trabalhadores da escola.

MAIS

Quase um em cada três adolescentes brasileiros sofre de transtornos mentais comuns (TMC), caracterizados por tristeza frequente, dificuldade para se concentrar ou para dormir, falta de disposição para tarefas do dia a dia, entre outros sintomas. É o que aponta o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica) realizado em 2016.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página